Curatorial work‎ > ‎

Olhar o futuro



  
 



Vistas da exposição/ Exhibition views. Fotos/ Photos: Nina Szielasko
 
 
Exposição 
OLHAR O FUTURO -
35 anos de SNS

Organização
Ministério da Saúde

Fotografia
Luísa Ferreira

Curadoria
Manuel Valente Alves


Local
Sala de exposições da Secretaria-Geral do Ministério da Saúde, Lisboa

Data
12 de Setembro de 2014 a 12 de Dezembro de 2014


Olhar o futuro e construir esperança é um desígnio e uma obrigação dos Estados e dos Povos. 
Nesse sentido, a criação do Serviço Nacional de Saúde há 35 anos constitui um passo decisivo no caminho para uma sociedade mais coesa e solidária. Foi uma decisão para o Futuro e hoje o Serviço Nacional de Saúde continua a ser um projecto com Futuro. 
Saúde e esperança é o que lemos nos rostos que figuram nesta exposição alusiva ao 35º aniversário do SNS, Rostos que são também testemunhos vivos do percurso que o SNS já fez nas suas vidas e nas vidas de milhares de portugueses.[...]
Assegurar um SNS sustentável, onde a integração, a complementaridade, a excelência, a inovação e optimização de recursos sejam linhas orientadoras permanentes é a nossa obrigação, a de cidadãos e Governantes.
O Serviço Nacional de Saúde é um património de todos e é um legado que esta geração SNS, de olhos postos no futuro, quer perpetuar.
Por isso, vamos assumir, todos, a missão maior de continuar a participar na reforma e desenvolvimento do Serviço Nacional de Saúde.  

Paulo Moita de Macedo, Ministro da Saúde, in Catálogo da exposição

A exposição Olhar o futuro integra as comemorações oficiais dos 35 anos do SNS - Serviço Nacional de Saúde, organizadas pelo Ministério da Saúde em 2014. É composta por um conjunto de fotografias da autoria de Luísa Ferreira, que retrata um grupo de jovens de Vila Nova de Ceira, uma povoação do interior de Portugal.
Desde 1993, anualmente, Verão após Verão, Luísa Ferreira tem vindo a fotografar estes jovens, em grupo e individualmente, 
sempre no mesmo cenário natural, um campo de oliveiras.
Apesar destes jovens, na sua maioria, terem nascido e viverem nessa povoação rural, o seu estilo de vida nada tem a ver com o modo de viver nas sociedades rurais tradicionais: todos eles, de uma maneira ou de outra, se encontram conectados com o resto do mundo através da leitura, das redes e de outras sociabilidades fomentadas pelas tecnologias da comunicação. 
Nestes retratos podemos ver, além das naturais diferenças fisionómicas, traços de singularidade cultural, como a maneira de vestir e os objectos pessoais que (alguns) escolheram para se retratarem, sinais de hibridez cultural - um misto de local e global, rural e urbano. Deles emana um sentimento de beleza e serenidade muito poderosos, em parte devido á empatia que a fotógrafa soube criar com os fotografados. Que nos transmite tranquilidade e confiança. Têm nos olhos o horizonte da esperança. Quase todos nasceram depois da criação do SNS, há 35 anos. 
As suas condições de vida são em boa parte devedoras deste grande projecto colectivo português, verdadeiro marco civilizacional. O SNS não é um direito ou uma herança, é um sonho que se transformou em realidade. O sonho de tornar o nosso país mais saudável, mais próspero. É a concretização desse sonho que permite aos jovens aqui retratados pela fotógrafa Luísa Ferreira olharem-nos assim – olhos nos olhos, desafiando o futuro –, apesar das nuvens que nos últimos tempos têm ensombrado o nosso quotidiano. E isto acontece porque provavelmente  todos confiam que em qualquer momento, sempre que necessitarem dos seus cuidados, o SNS tem as suas portas abertas, e os seus profissionais tudo farão para que os curto-circuitos da vida, tantas vezes imprevistos, sejam prontamente reparados.
É preciso olhar para o futuro. A qualidade, a equidade e a acessibilidade que o SNS nos habituou ao longo de todos estes anos só poderão manter-se se promovermos o seu contínuo aperfeiçoamento e sustentabilidade.

Manuel Valente Alves, Curador da exposição

 
Exhibition
LOOKING AT THE FUTURE -
35 years of Portuguese NHS


Organization
Ministry of Health of Portugal

Photography
Luísa Ferreira

Curator
Manuel Valente Alves


Place
Exhibition room of General Secretariat of Ministry of Health, Lisbon

Date
12 September 2014 to 12 December 2014 


Images of the inauguration
 



Looking at the future and to build hope is a plan and an obligation of States and Peoples.
In this sense, the creation of the National Health Service 35 years ago is a decisive step on the way to a more cohesive and caring society. It was a decision for the future and today the National Health Service remains a project with Future.
Health and hope is what we read in the faces that appear on this allusive exposure of the 35th anniversary of the NHS, faces that are also living witnesses of the route that the NHS has done in their lives and the lives of thousands of Portuguese. [...]
To ensure sustainable NHS, where integration, complementarity, excellence, innovation and optimization of resources are permanent guidelines, is our obligation, as citizens and Governors.
The National Health Service is a heritage of all and is a legacy that this generation SNS, looking at the future, want to perpetuate.
So let us to assume, all, the major mission to continue participating in the reform and development of the National Health Service

Paulo Moita de Macedo, Minister of Health, in Exhibition catalogue. 
 


The exhibition Looking at the future is part of the oficial commemorations of 35 th anniversary of the Portuguese NHS - National Health Service, organized by the Ministry of Health in 2014. It shows a set of portraits of young people from a village in the interior of Portugal, Vila Nova de Ceira, by Luisa Ferreira. Every year, summer after summer, Luisa Ferreira was photographing these young people since 1993, in groups and individually, always in the same natural setting, an olive field.
They live mostly in that village, their birthplace, but the way as they live has nothing to do with that of the traditional rural societies. They all are, in one way or another, connected with the rest of the world through reading, networks and other sociability fostered by the technologies of communication.
In each of the portrayed we can see, beyond the natural physiognomic differences, traces of cultural singularity, such as the way they dress themselves and personal objects with which (some) have chosen to be portrayed. Their culture is hybrid: a mix of local and global, rural and urban. They reflect a very powerful sentiment of beauty and serenity, partially because of the relation of empathy that the photographer created with the models. That transmit us a mixing of tranquility and trust. They have in their eyes the horizon of hopeAlmost all of them were born after the creation of the NHS - Portuguese National Health Service, 35 years ago. 
Their living conditions are largely debtor of this great Portuguese collective project, which makes us very proud because it represents a milestone civilization.
The Portuguese NHS is not a right or an inheritance, is a dream that became reality. The dream of making our country healthier, more prosperous. It is the fulfillment of that dream which enables young people here portrayed by the photographer Luisa Ferreira look us well - eye to eye, challenging the future - despite the clouds that have recently have overshadowed our daily lives. 
And this is because probably they know that at any time, whenever need it, the NHS has its doors open, and will do everything to repair promptly the short circuits of life, often unpredictable.
We must look to the futureThe quality, equity and accessibility that the NHS has accustomed us over all these years can only be maintained by ensuring its continuous improvement and sustainability.

Manuel Valente Alves, Exhibition curator